Archive for the ‘Rios e Ribeiros’ Category

Em janeiro dei conta da Inundação no Laboratório da Paisagem, consequência natural de edificações em leito de cheia. Hoje venho dar conta do custo da irresponsabilidade e falta de visão que permitiu criar mais valias nessas edificações, desconsiderando por completo as inundações mais que expectáveis.

Ajuste direto

Só para reparar o pavimento vão ser gastos 39.750€. O piso em madeira vai ser substituído por um outro que  (pelo que os materiais indicam e o bom senso recomenda) suporte a visita das águas do Selho.

Material lab paisagem

O Laboratório da Paisagem foi inundado pelas águas do rio Selho, que causaram danos no pavimento do renovado edificio. Segundo a noticia do Guimarães Digital , o furto de uma válvula levou à falha do sistema que impedia a entrada da água.

Não sou entendido, mas pelo que vi no local, e como as fotos documentam, a água do rio envolveu o edificio e a única forma de impedir a sua entrada seria tornar as portas de acesso ao interior do edificio completamente estanques.

Parece que mais alguém partilha da minha opinião, e tratou de projetar espuma de poliuretano para isolar as portas com frente para a Rua da Ponte Romana. (ver foto)

No ano passado foi o Instituto de Design, agora o Laboratório da Paisagem, e não será surpresa quando chegar a vez do Centro Avançado de Formação Pós-Graduada, ou houver alguma reincidência nestes locais. Será normal.

O surpreendente é que se insista em criar mais valias no edificado das zonas de leito de cheias, sem levar em conta que as inundações são normais e expectáveis.

E já agora, como é possivel que se furte uma válvula de um edificio que tem vigilância permanente paga pela CMG?

Inundação Lab. Paisagem

Porta isolada com espuma

No âmbito do projeto Campurbis, a CMG e a UM criaram um outro projeto a que chamaram Revitalização e Valorização da Ribeira da Costa / Couros, cujos objetivos aqui transcrevo.

OBJECTIVOS:
1. Desenvolver uma gestão ambientalmente responsável da linha de água, promovendo e gerindo a permeabilidade do solo e do subsolo;
2. Preservação de espaços verdes, que se encontram enquadrados na cidade, favorecendo a sustentabilidade e a biodiversidade do sistema natural;
3. Criação de corredores ecológicos fluviais que assegurem a descontinuidade urbanística;
4. Fomentar a utilização pública destas áreas naturais, criando lugares de interface entre as vivências sociais e os espaços ribeirinhos;
5. Renaturalização de áreas degradadas, pertencentes ao sistema ribeirinho;
6. Promover a plantação da vegetação característica das condições do habitat local.
7. Controlo das áreas impermeabilizadas (edifícios, vias e pavimentos);
8. Incrementar, nas zonas urbanas de maior permeabilidade, o uso de revestimentos que conduzam à infiltração;

Após a leitura atenta destes objetivos, pergunto: qual das fotos deveria ser o “antes” e o “depois”?

campurbis antes e depois

Ribeira Santa Luzia V

Posted: 2011/08/01 by zefrancisco in Rios e Ribeiros
Etiquetas:

MÁS NOTICIAS

Afinal o problema de saneamento não está resolvido. Vi água limpa e precipitei-me nas conclusões.

A porcaria e o mau cheiro estão de volta!

Este slideshow necessita de JavaScript.

Ribeira Santa Luzia IV

Posted: 2011/05/16 by zefrancisco in Rios e Ribeiros
Etiquetas:

BOAS NOTICIAS: Coincidência, ou talvez não, o problema de saneamento junto à nascente da ribeira de Santa Luzia, que existia há anos, foi recentemente resolvido. Comparem as fotos.